Read in your language

domingo, 21 de novembro de 2010

Sabonete íntimo: usar ou não usar?


Especialistas ajudam você a decidir. Afinal, qual é a diferença entre os sabonetes íntimos e os comuns?


A diferença está no pH. Enquanto os sabonetes comuns tendem para o pH básico ou neutro (entre 9 e 10), os sabonetes íntimos têm um pH ácido (entre 4 e 4,5) – resultado da composição com ácido láctico –, que mantém o pH vaginal ácido. Essa acidez é necessária para manter vivos os microorganismos e lactobacilos que vivem nessa região e têm como função proteger a mulher de possíveis infecções.

Segundo a médica ginecologista e membro do Conselho Editorial da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp), Patrícia de Rossi, alguns colegas ginecologistas defendem e até indicam o uso de sabonetes íntimos, outros abominam. “Os demais – entre os quais eu me encontro – imaginam que se não faz mal, tudo bem usar, mas com certo ceticismo sobre a sua real utilidade”, pondera.

A vagina não necessita de um sabonete especial. No entanto, a vulva (parte externa dos órgãos genitais) necessita de cuidados especiais. A higiene íntima é necessária e deve ser feita uma vez ao dia, principalmente após as evacuações. Ela deve ser feita sempre da frente para trás. “Devem-se usar medidas corretas como a lavagem, após as evacuações, e, na impossibilidade da mesma, fazer a limpeza com lenços umedecidos. A mulher que não pratica a higiene íntima pode ter mais infecções urinárias, alergias, vaginites e pruridos. Vale lembrar que, nesta região, não se deve utilizar perfumes ou talcos”, afirma Angela Maggio Fonseca, professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e coordenadora do Programa de Pós-Graduação de Obstetrícia e Ginecologia FMUSP.

Assim como o nosso corpo, a vulva também está propensa a sofrer o ressecamento. Este quadro pode desencadear uma coceira na região. “Para estas mulheres, estes sabonetes podem ajudar, pois possuem menos ação detergente que os comuns e ainda incluem composição hidratante. Embora eu não conheça nenhum estudo científico que comprove a sua eficácia em alguns pontos prometidos, se o produto traz o conforto à mulher – afastando esta coceira – ele pode ser usado sem problema”, avalia Rosana Simões, professora-doutora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Mas há que se deixar um alerta: a região genital feminina é muito mais sensível aos alérgenos e estes produtos não estão isentos de causar irritação, mesmo tendo sido formulados especificamente para uso local. “E mesmo com os sabonetes e loções indicados, deve-se orientar a mulher para que a limpeza seja realizada superficialmente. As lavagens devem ser feitas só externamente, para não alterar o pH vaginal”, enfatiza a professora Angela.


Matéria retirada daqui 

Bjks,
Aline

4 comentários:

  1. Acho desnecessario.

    Toda mulher q tenha uma boa higiene, boa alimentação e não abusa de tecidos sinteticos q abafam a região, não precisam usar.

    Isso é o CAPITALISMO! Querem fazer a gente dependente de algo.

    Uma visita ao ginecologista, e vc sabera como esta sua flora vaginal e se REALMENTE precisa de tal produto.

    ResponderExcluir
  2. Conselho de homem, que chega perto e gosta...

    Nada de sabonetes intimos, atrapalham o perfume natural da flor, água e sabonete simples, um lux ou dove da vida mesmo.

    O importante é a higienização, não a esterilização!!!

    Homens adoram um churrasco com picanha, com a capa de gordura, e o que esses sabonetes fazem é exatamente tirar a capa de gordura, perde o sabor.

    E se o seu parceiro(a) reclamar, é melhor trocar de parceiro(a), pois ele(a) não é tão fã assim como sempre disse da sua tulipinha.

    sejam felizes!! eu sou!!!!

    ResponderExcluir
  3. minha mulher comprou usamos no meu amigão, senti mais sensibilidade, da uma sensação de limpeza maior tb. Ele é para ser usado somente em mulheres?

    ResponderExcluir
  4. Muito útil, sempre quis saber se realmente adiantava alguma coisa.

    ResponderExcluir

E aí? O que achou?